Quarta-feira, 9 de Agosto de 2006


A Caverna

José Saramago

Ed. Caminho,

2ª Edição, Dezembro 2000

 

 

Um oleiro, um guarda, duas mulheres e um cão. Pessoas como qualquer um de nós. Que sabem que “numa escada, aqueles que não descem, sobem, e aqueles que não sobem, descem”. (Pg. 324) E o Centro, universo que engole metódica e inexoravelmente a naturalidade da vida, onde a imitação relega o original para a futilidade da inexistência.

 

Esta obra tem naturalmente a ver com a caverna da alegoria platónica, o lugar onde as pessoas estão sentadas, olhando em frente, para uma parede onde passam sombras, julgando que essas sombras são a realidade.

 

“Que estranha cena descreves e que estranhos prisioneiros,

São iguais a nós.”

Platão, República, Livro VII

 

 



publicado por Zé Maria às 11:06 | link do post | comentar

mais sobre mim
Agosto 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
17
19

20
21
23
24
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Vou ali, já venho.

Curiosidades do nosso tem...

É bem verdade!

Loucura Subjectiva

As agruras do Ministério ...

Espiritualidades

O Sabor dos livros

Olhares

Outros olhares

Hipocrisias do nosso temp...

arquivos

Agosto 2006

Julho 2006

favoritos

Olhares

Pé ante pé

links
blogs SAPO
subscrever feeds